Se você é uma adepta da dieta flexível há um tempo ou já deu uma boa explorada nos aplicativos de registro alimentar disponíveis por aí, deve ter percebido que existem muitas informações nutricionais BOAS e muuuuitas ruins ou pela metade.

E é por isso mesmo que, diante dessa bagunça de dados, criei este post para ajudar você a botar ordem nesta casa chamada Dieta Flexível e nunca mais utilizar informações de má qualidade dentro dos aplicativos!

MYFITNESSPAL, O REI

Para tornar tudo mais prático, vou utilizar o MyFitnessPal como o nosso aplicativo de exemplo. Pioneiro no ramo dos aplicativos de diário alimentar, ele conta com a maior base de dados de informações nutricionais, possui funções muito práticas, como o leitor de código de barras e a multi-adição, e está em constante melhoria!

myfitnesspal contar macros

Antes de aprendermos como identificar boas informações dentro do MyFitnessPal, vamos entender como esse aplicativo coleta dados para formar sua base de dados nutricionais:

MYFITNESSPAL E CAPTAÇÃO DE DADOS

myfitnesspal brasil
  1. Captação Ativa Interna: diariamente, o time de desenvolvedores do aplicativo busca por informações nutricionais validadas em fontes oficiais de pesquisa e divulgação de dados nutricionais. A seguir, vamos conhecer algumas delas:
    1. USDA;
    2. TACO;
    3. UNIFESP;
    4. USP;
    5. Grandes marcas da indústria alimentícia.
myfitnesspal dieta flexivel
  1. Captação Reativa Externa: diariamente, milhares de usuários do MyFitnessPal inserem informações nutricionais na base de dados do aplicativo, ao compartilhar seus próprios registros com os demais usuários.

É MUITA INFORMAÇÃO

Claramente, fica fácil de ver que o volume de informações que entram no app é bem alto! E, sim, a equipe de desenvolvedores está constantemente avaliando as informações disponibilizadas e trabalhando para sempre melhorar a qualidade das mesmas.

No entanto, o poder de contribuir atribuído aos usuários é uma faca de dois gumes: ao mesmo tempo em que permite que qualquer pessoa insira infos no aplicativo, expande a abrangência da base de dados. Esta transferência de poder descentraliza o controle da informação e abre precedentes para a disponibilização de informações inadequadas e incompletas.

Quem, aqui, nunca abriu uma info nutricional no MFP que possuía 0 macronutrientes e um monte de calorias? Ou, então, deparou-se com uma quantidade em gramas de macronutrientes que, simplesmente, excedia o próprio tamanho (em gramas) da porção de alimento? QUEM NUNCA?

Pois, então, é desses dados inadequados que devemos fugir! Precisamos estar sempre atentas e selecionar as informações nutricionais que melhor representam o alimento que desejamos registrar. Para isso, listei aqui embaixo hábitos que podemos criar diante da seleção de alimentos no MFP.

HÁBITOS PARA SELECIONAR BOAS INFORMAÇÕES NO MFP

  1. Escreva o nome do alimento corretamente.
  1. Insira dados caracterizadores SEMPRE que possível:
    1. nome do produto, nome da marca, tipo de recheio;
    2. modo de preparo (no caso de produtos de açougue e hortifruti);
    3. versão do produto: integral, light, diet, sem açúcar.
  1. Para produtos rotulados:
    1. cheque o tamanho da porção indicada no APP com a porção indicada no rótulo. Se necessário, ajuste a medida de porção no aplicativo;
    2. quando se tratar de alimentos embalados, que ainda serão cozidos, lembre-se de verificar se a porção indicada no rótulo refere-se ao alimento cru ou já preparado;
    3. cheque a proporção dos macronutrientes indicada no app com a impressa na tabela nutricional. Caso elas estejam significativamente diferentes, vá em busca de outra informação nutricional mais fiel ao produto.
  1. Sempre use seu senso crítico e sua perspicácia: veja se os macronutrientes atribuídos a determinado alimento fazem sentido, nutricionalmente!

Por exemplo: sabemos que se buscarmos por uma batata inglesa cozida, devemos esperar uma informação nutricional com altos valores de carboidrato e baixos valores de proteína e gordura.

Caso haja algo muito distante disso, sabemos que há algo de errado na informação.

Outro exemplo: se buscamos por uma batata frita em óleo, esperamos encontrar valores altos nos componentes de carboidratos e gorduras.

SIMPLES, PRÁTICO, ESSENCIAL

Ao incorporar estes quatro hábitos simples na rotina flexível, garantimos a seleção de informações de confiança e que representam com fidelidade o que estamos ingerindo durante o dia.

São pequenos cuidados como este que nos aproximam cada vez mais de nossos resultados estéticos e, acima de tudo, de nossos resultados de saúde mental e física! Criar consciência sobre nossa alimentação é dar um passo ao que chamamos de liberdade nutricional.

Os aplicativos de registro de alimentação estão aqui como nossos aliados, como ferramentas de muito valor, que nos auxiliam a conquistar nossos objetivos!

Mesmo assim, devemos usá-los com atenção e sempre manter o olhar crítico de quem está interessado não só na parte operacional da Dieta Flexível, mas, também, em todo o conhecimento que ela traz.

Para tornar a nossa experiência nos aplicativos ainda mais proveitosa, vou deixar aqui embaixo duas dicas de ouro para as usuárias do aplicativo MFP:

VOCÊ AJUDA O APP E O APP TE AJUDA!

Recentemente, o time de desenvolvedores do aplicativo criou uma forma para nós, usuárias dedicadas, auxiliá-los na melhoria das informações expostas e, consequentemente, tornar o aplicativo mais confiável para nós mesmas! O máximo!

A função chamada “Relatório do alimento”, em português, permite verificar diversos tipos de informações inadequadas ou incompletas, como erros nas proporções de macronutrientes de um alimento ou ausência de informações de porcionamento aplicáveis.

Confira, a seguir, como podemos utilizar essa super função do APP:

VOCÊ JÁ UTILIZOU A FUNÇÃO “CÓDIGO DE BARRAS DO MFP?

Uma das funções que conferem praticidade e muita agilidade ao MFP é a função Código de Barras: através do escaneamento direto do código de barras de produtos embalados e rotulados, conseguimos obter as informações nutricionais deles!

Claro, não são todos os produtos e marcas que já oferecem esse recurso, mas há uma crescente ampliação dos códigos de barras cadastrados na base de dados do app.

No vídeo a seguir, mostro como acessar e utilizar o leitor de Código de Barras do MFP:

https://drive.google.com/open?id=1HmUrYAphkHU98Gu1Yjv0O7SozgmX1Hpt

Em algumas poucas vezes, a informação nutricional atribuída ao código de barras pode não condizer com a info nutricional impressa na embalagem do produto. Nestes casos, recomendo:

1. contatar o fabricante do produto para que ele se torne ciente de tal diferença;

2. Contribuir para a propagação de informações corretas é adequar a associação do código de barras à informação nutricional adequada. Segue, aqui, um tutorial que nos ensina a editar a associação dos códigos de barra dentro do MFP: https://myfitnesspal.desk.com/customer/en/portal/articles/17432-the-barcode-scanner-returned-the-wrong-item-;

3. caso a ação 2 não funcione, busque pelo produto da maneira convencional e encontre a info nutricional condizente com a embalagem. Em seguida, reporte o caso para a equipe do MFP.

Muita coisa nova por aqui? Existe uma infinidade de recursos que podemos usar para melhorar nossa prática da Dieta Flexível! Estes levantados aqui são uma pequena amostra!

Vamos sumarizar tudo que aprendemos por hoje:

  1. como funciona a base de dados do MFP;
  2. como podemos selecionar informações confiáveis dentro do app;
  3. hábitos para garantir uma boa seleção informações nutricionais;
  4. como contribuir para a base de dados através da adição de infos nutricionais;
  5. como contribuir para a base de dados através do relatório de infos nutricionais inadequadas;
  6. como utilizar a função de Código de Barras disponível no MFP.

Agora, bora colocar tudo que aprendemos em prática!

Mil beijinhos!

Referências:

https://www.myfitnesspal.com/